Cortesia: ©Paulo Nazareth Ed. / Ltda.

PAULO NAZARETH

todas as vezes que sou parado, tomado como bandido,delinquente,mau elemento, narcotraficante, ladrão, terrorista, débil mental, louco, psicopata, sociopata, entre outras possíveis ameaças sociais pela polícia militar y oficiais similares em diferentes partes deste mundo.

PAULO NAZARETH

 

Paulo Sergio da Silva - PAULO DA SILVA, adotou o nome da indígena, mãe de sua mãe, Nazareth de Jesus, como parte de seu nome, se fazendo mais perto da mãe e mais perto dos krenaques, seus parentes da linhagem AYMORE, que após a chegada dos Krai [homens brancos], a partir do sul da Bahia se adentraram ao interior do país por meio das margens do Watu [Rio Doce], passando a viver no que chamam hoje Vale do Rio Doce/MG. Valdomiro Flores, rezador Kaiwowa, trouxe a Paulo seu nome de verdade, AWA JEGUAKAI NRENDA, numa manhã de sexta-feira, após a reza da noite de quinta-feira, antes do Kachara seguir o caminho de África a saber mais sobre os homens e mulheres de cor de sua família. Trabalhou com porcos, varrendo rua, vendendo limão, feijão, urucum y outras mercancias. Foi jardineiro, ajudante de pedreiro, gesseiro, balconista, padeiro, cozinheiro e agente de saúde.

A REVISTA

MEDUSA

EDITORIAL | CRISTIANE BOUGER